Filomena Gonçalves (Inhá): parte da história da ABB


A Igreja Batista em Vila Maciel, de Corinto (MG), tem um dos membros mais antigos da Associação, com certeza: a irmã Filomena Gonçalves, mais conhecida como Inhá, nascida no dia 17 de fevereiro de 1914. Ela se converteu aos 20 anos de idade e batizada pelo pastor americano Rulfos.


Lúcida até hoje, sabe recitar os Salmos 91, 23 e 37. Seu versículo preferido é João 3:16 e o hino, o 335. “Trabalhei muito nessa vida, mas o que valeu foram somente as coisas que fiz para Deus”, afirma a irmã Inhá.


“Vivi 101 anos de muitas alegrias e muitas tristezas. Mas sou feliz porque Deus cuida de mim.”, diz ela. Inhá conta muitas histórias e lembra de muita gente que já foi para a glória. Trabalhou com o pastor Helliot e a irmã Hariet (“êta pastor bom”). Foi para Pirapora na companhia deles e lá ficou por dois anos, quando o pastor retornou para os Estados Unidos: “Eles bem que queriam me levar, mas não pude acompanhá-los”.


Em Pirapora, conheceu o pastor Paulo e a irmã Márcia. “Todas as manhãs, Paulo ia em casa para ver se eu precisava de alguma coisa. Paulo era muito cuidadoso, atencioso. Márcia também era muito boa, muito carinhosa”, relembra Filomena.


Naquela ocasião, também conheceu o pastor Milton, quando ele ainda usava calças curtas. “Que menino bom, estava sempre na casa do pastor Helliot. Varria o quintal, molhava plantas, sempre disposto a ajudar em alguma coisa. Tenho muita saudade de Milton”.


Muitas memórias e saudades


Quando voltou para Corinto, Inhá morou vários anos nos fundos da Igreja Vila Maciel (pastor Timóteo, na época). Nunca se casou, mas ajudou a criar muitos filhos de irmãos da igreja. Filha do pastor Timóteo, filha da irmã Iracema e do irmão Didi Nascimento, netas dos irmãos Zé Mendes e da irmã Feliciana... (todas as vezes que fala da irmã Feliciana, ela chora. Diz que nunca conheceu pessoa com o coração tão bom).


A irmã Feliciana morava ao lado, sempre dando muita atenção para suas necessidades. Quando seu esposo, irmão Zé Mendes faleceu, ela foi morar na casa da irmã Feliciana a pedido de Roberto (filho do casal). “Não posso deixar de falar, irmã Feliciana foi uma mãe para mim”, diz Inhá. Desde a morte de Feliciana, em abril de 2006, ela mora na casa de Elisangela (Preta) neta do irmão Zé Mendes.


“Muitas pessoas tiveram grande importância na minha vida, entre elas irmã Hilda (falecida) e irmão Osvaldo, ambos de vila Maciel, que sempre tiveram muita atenção comigo e sempre me ampararam”, conta ela, emocionada. Inhá diz que ama o pastor Marcos Maia: “oro pelo meu pastor todos os dias”


Pedido de Inhá – “Orem por mim! Ainda gostaria de rever pastor Paulo e irmã Márcia e também o pastor Milton. Quase não enxergo, mas seria uma alegria muito grande rever esses irmãos"


Destaques
Mais recentes
Arquivo